Team Building: 5 dicas para colocar em prática com a sua equipe

with Nenhum comentário

À medida que avançamos no tempo, tornou-se visível que o ritmo das mudanças tecnológicas evolui de modo exponencial, alterando muito a forma como trabalhamos e nos relacionamos. Com isso, esperamos inovações que alteram o meio empresarial.

Assim sendo, o impacto dessa transformação nos negócios e no emprego é duplo: não apenas as pessoas em empregos focados em tarefas são substituídas pela tecnologia de automação a um ritmo crescente. Não só isso, as empresas também estão se reestruturando para serem mais enxutas e adaptáveis.

Logo, estruturas hierárquicas – onde as pessoas têm tarefas bem definidas e altamente específicas – estão dando lugar a tarefas mais leves sugeridas com a prática de team building. A colaboração multifuncional e trabalho em equipe são as novas chaves para o sucesso.

Com a inteligência artificial assumindo tarefas repetitivas, cabe às equipes desenvolver e executar uma estratégia que gera lucro e aumenta a retenção de pessoas. Portanto, é mais importante do que nunca para as organizações garantirem que suas equipes sejam construídas para a máxima eficácia.

Equipes eficazes são o ponto crucial do seu negócio.

Você pode definir estratégias, criar metas e planejar até o último detalhe. Mas, sem equipes cuidadosamente selecionadas e de alto desempenho, você ficará aquém.

A resistência mental é um fator importante na formação de equipes e um fator que você deve procurar ao orientar sua equipe para o sucesso. O bom trabalho em equipe exige equilíbrio.

 Seguindo as melhores práticas descritas abaixo, os líderes e os membros da equipe podem alcançar seus objetivos compartilhados. Acompanhe!

1. Estabeleça confiança

A base de qualquer relacionamento duradouro, profissional ou pessoal, é a confiança. Em um ambiente profissional, os membros da equipe precisam saber que outras pessoas cumprirão suas promessas, apoiarão objetivos compartilhados, participarão em momentos difíceis e manterão a comunicação aberta.

As pessoas costumam confiar mais em estranhos do que em seu próprio chefe. Se alguém tem dificuldade para confiar no chefe, também terá a mesma dificuldade em relação aos demais integrantes do time. Se você deposita sua confiança nos membros da equipe e eles retornam essa confiança, o vínculo da equipe é fortalecido. 

Tenha paciência

A confiança é construída ao longo do tempo, portanto, seja tolerante e atencioso com os erros.

Mantenha a calma

A calma é fonte de confiança e lealdade. 

Seja transparente, aberto e flexível

Ajudará a quebrar barreiras e tornará a comunicação mais natural e leve. 

Forneça feedback mútuo

É importante criar e seguir planos com a equipe. Também é fundamental informar aos participantes qual o status do projeto porque denota o quanto cada membro é importante para a concretização do que foi conversado anteriormente. 

Participe de exercícios contínuos em equipe

Alguns exemplos que podem ser praticados são: “nó humano”, “caça ao tesouro” e fixar o contato visual por 1 minuto. 

2. Conheça a si mesmo

Alcançar a autoconsciência sobre seus pontos fortes, limitações, motivações e tendências ajudará você a contribuir de maneira mais eficaz para a equipe, assumindo as tarefas para as quais você é mais adequado e eliminando comportamentos que dificultam a consecução de objetivos compartilhados.

De acordo com Daniel Goleman, psicólogo de renome internacional e autor do best-seller Inteligência Emocional: por que isso importa mais do que o QI, “a autoconsciência emocional é uma competência de liderança que aparece em modelo após modelo. Esses são os líderes sintonizados com seus sinais internos, reconhecendo como seus sentimentos os afetam e seu desempenho no trabalho”.

A autoconsciência também é uma característica fundamental da resistência mental. Por isso, no mundo competitivo das vendas, os funcionários portadores de deficiência costumam demonstrar coragem e motivação para ver um projeto até a conclusão em alto nível. O autoconhecimento é a chave para isso!  

3. Compreenda os outros

Assim como você tem um estilo de trabalho pessoal, os membros de sua equipe também. Busque a consciência de seus pontos fortes e limitações antes de exigir que os outros ajam como você. Assim, isso lhe dará uma melhor compreensão dos pontos fortes e quais as dificuldades de seus apoiadores.

Confira algumas técnicas para analisar o perfil de seus funcionários

Capte todas as pistas emocionais (verbais e não verbais)

O tom da voz, a linguagem corporal e outras formas de comunicação; 

Escute atentamente o que os outros têm a dizer

É uma dica importante já que para uma comunicação não é necessário só saber transmitir a ideia, mas também saber escutá-la; 

Observe o ponto de vista

Esteja ciente que surgirão opiniões diferentes que poderão ser analisadas e utilizadas em benefício da equipe. Ao colocar sua análise sobre qualquer assunto mostre sensibilidade e aceita outras perspectivas; 

Forneça assistência

Sempre que possível procure ajudar – mesmo que nos assuntos pessoais – de sua equipe. Colocar-se à disposição é uma excelente maneira de criar laços de confiança. 

Ao aprender sobre as motivações intrínsecas e os estilos de trabalho um do outro, os membros da equipe podem reduzir conflitos improdutivos. Dessa forma, por meio de treinamento e desenvolvimento aprimorados de resistência mental, sua equipe saberá como atrair novos clientes e mantê-los. Inclusive, mesmo os melhores programas têm uma queda natural se o comportamento humano intrínseco não for abordado.

4. Defina funções

São necessários diferentes tipos de personalidades para fazer uma equipe funcionar de maneira eficaz. Algumas pessoas são melhores comunicadoras, algumas têm ideias mais brilhantes e outras são mais eficientes e organizadas. Por isso, ao definir responsabilidades além de tarefas específicas e pensar holisticamente nos papéis da equipe, o grupo pode maximizar o talento dos membros individuais enquanto forma uma única entidade com o poder de realizar grandes coisas.

As funções da equipe incluem:

  • Campeão – alguém que gosta de promover ideias, reunir o grupo e promover mudanças;
  • Criador – alguém que gosta de gerar ideias, projetar soluções e enfrentar desafios criativos;
  • Implementador – alguém que é especialista em se encarregar das atividades diárias de trabalho e tarefas administrativas;
  • Facilitador – alguém que administra bem os relacionamentos, tanto dentro da equipe quanto externamente. Esta pessoa costuma ser o elo que mantem o time unido e produtivo. 

5. Defina regras básicas

Sua equipe é livre para criar suas próprias regras de engajamento. Inclusive, as regras podem estar relacionadas à forma como os membros se comunicam. Além isso, estabelecem como cumprem os prazos e como lidam com os obstáculos. Sendo assim, com as regras básicas em vigor, os membros sabem como enfrentar os desafios e como eles serão responsabilizados em uma estrutura não hierárquica.

Importante: As regras básicas devem ser flexíveis e mutáveis ​​com base nas necessidades da equipe. Assim, seguir regras somente porque elas existem não é uma prática eficaz.

Definir regras básicas em sua equipe pode ajudar a melhorar a qualidade de vida no trabalho:

  • Criando comunicação aberta; 
  • Garantindo que os funcionários atuem profissionalmente; 
  • Garantindo que todos sejam tratados da mesma forma e com respeito.

Por fim, um verdadeiro líder em uma equipe eficaz não tenta assumir o controle, faz suposições em nome de outros membros da equipe ou administra minuciosamente suas contribuições. Fazer isso destrói o valor da estrutura plana e multifuncional. Além disso, também desliga a comunicação e limita a interação.

Sobre isso, Andrew Carnegie, que é um conhecido empresário e filantropo estadunidense diz:

“Trabalho em equipe é a capacidade de trabalhar juntos em direção a uma visão comum. A habilidade de direcionar realizações individuais para objetivos organizacionais. É o combustível que permite que pessoas comuns alcancem resultados incomuns.”.

Pratique a união em sua equipe e colha excelentes resultados para você, seu time e sua empresa.

Este artigo foi escrito por oHub, plataforma que conecta empresas com fornecedores de serviços B2B.

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *