Qual a relação entre felicidade e produtividade dos colaboradores?

with Nenhum comentário

A qualidade de vida e o bem-estar do colaborador no trabalho são fatores que influenciam diretamente sua produtividade. 

Só para exemplificar, um estudo feito pela Universidade da Califórnia identificou mais claramente a relação entre felicidade e produtividade dos colaboradores: funcionários mais felizes são, em média, 31% mais produtivos, 3X mais criativos e vendem 37% a mais em comparação aos outros.

Dessa forma, a felicidade no trabalho é um fator estratégico para reduzir rotatividade, atrair e manter talentos e ainda criar um clima organizacional em que essas pessoas rendam mais em suas funções. 

Continue lendo e veja como é possível incentivar a felicidade e medi-la na sua empresa!

empresa!

Como usar a relação entre felicidade e produtividade dos colaboradores a favor da sua empresa

Antes de tudo, é preciso que haja um comprometimento da liderança. Um líder é capaz de empreender, motivar, inspirar e mover as pessoas rumo à direção desejada. Logo, o primeiro passo é alinhar os cargos de liderança da sua empresa nessa visão.

Em segundo lugar, é preciso levantar informações sobre a situação atual da sua organização a fim de entender o ponto de vista dos colaboradores.

Nesse sentido, comece com uma pesquisa de clima organizacional e deixe os funcionários seguros de que podem contribuir de maneira transparente. 

Para isso, faça uma pesquisa anônima e incentive a participação de todos, explicando a razão do levantamento: que a empresa deseja tornar o ambiente mais feliz.

Todos desejam felicidade. E, uma vez que passamos boa parte do nosso tempo no ambiente de trabalho, é fundamental que sejamos felizes nele. Afinal, a carreira representa um grande espaço nas nossas vidas.

Dessa forma, ficará mais fácil captar o interesse e o feedback dos seus colaboradores.

Como identificar a produtividade no trabalho

No livro “SCRUM: a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo”, o autor e criador deste Framework ágil descreve a importância da felicidade para a produtividade no trabalho, destacando alguns princípios para alcançá-la:

Transparência

O sigilo é venenoso. As pessoas precisam de informações para executar suas funções de forma eficiente. E isso inclui a política da empresa, a sua cultura, estrutura e planejamento organizacional.

Além de necessitarem de informações para trabalhar adequadamente, os colaboradores precisam conhecer a maneira de ser da empresa a fim de se identificarem e se sentirem seguros nesse ambiente.

Mais do que resultados, valorize a jornada

Segundo o autor, os resultados são momentos mais raros do que nosso esforço em consegui-lo. Só para ilustrar, um alpinista leva mais tempo planejando, treinando e subindo uma montanha do que quando chega ao topo dela.

Ou seja, os colaboradores precisam ser incentivados durante todo o processo, não apenas ao final dele. 

Dessa forma, crie marcos de pequenas vitórias na sua organização até o resultado final desejado. Assim, entregue também pequenos prêmios capazes de incentivar o funcionário que tem se empenhado nesse processo. 

Por exemplo, quem conseguiu finalizar todas as tarefas da semana antes do prazo, poderia tirar um dia a mais de folga na semana.

Times rendem mais

O autor também demonstra por meio de diferentes casos de sucesso de aplicação do SCRUM que investir na coletividade é mais poderoso do que no individual. Isso significa que um time gera mais resultados e mais rápido do que um indivíduo.

Dessa forma, crie um ambiente de colaboração na sua empresa. Para isso, una pessoas multidisciplinares em função de um objetivo em comum e prestigie o esforço em grupo, não apenas o individual. 

Por exemplo, os membros de um time que conseguirem bater a meta primeiro ganharão mais tantos dias de férias. Dessa forma, o esforço será coletivo e os resultados poderão ser alcançados antes e melhor.

Resumindo, para Jeff Sutherland, autor deste livro e cocriador do SRCUM, a felicidade é:

  • Autonomia: as pessoas precisam de liberdade para executar seu trabalho;
  • Propósito: também precisam saber o porquê de suas funções e como agregam valor à empresa;
  • Domínio: ainda desejam aprimorar suas habilidades, se tornarem melhores naquilo que fazem.

Nesse sentido, a sua empresa pode promover novos aprendizados dentro da organização. Por exemplo, oferecer cursos online e presenciais para os funcionários que buscam por capacitação e aprimoramento.

Dessa forma, as pessoas terão mais domínio e se sentirão mais felizes no trabalho, uma vez que terão a oportunidade de crescer na carreira. 

Assim, para medir a felicidade na sua empresa, Sutherland ainda fornece um questionário simples que pode ser aplicado periodicamente na sua empresa:

  • Em uma escala de 1 a 5, como você se sente em relação ao seu trabalho na empresa?
  • Nessa mesma escala, como se sente em relação à empresa como um todo?
  • Por que se sente assim?
  • O que faria com que ficaria mais feliz?

Essas perguntas podem servir de inspiração para sua pesquisa organizacional.

Portanto, crie uma comunicação clara e transparente com sua equipe. Valorize o coletivo mais do que o individual e incentiva em forma de bônus os colaboradores que se destacarem. 

Forneça autonomia, propósito e domínio aos seus funcionários e meça a relação entre felicidade e produtividade dos colaboradores. Assim, sua empresa irá mais longe mais rápido.

Conteúdo produzido por Dani Ferreira, escritora e redatora web.

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *