Como o microbioma presente na boca pode influenciar na sua saúde oral

with Nenhum comentário

Poucas pessoas sabem, mas o estado da nossa saúde bucal está intimamente ligado ao microbioma oral.  Entenda agora como isso ocorre.

Já é de conhecimento geral que para uma boa saúde bucal temos que escovar os dentes todos os dias, passar fio dental e ir ao dentista regularmente.

No entanto, poucas pessoas realmente sabem como a saúde da nossa boca funciona, especialmente de um ponto de vista biológico.

Acontece que o nosso microbioma oral é a primeira linha de defesa do nosso organismo contra várias doenças e quando ele é desestabilizado a nossa saúde bucal é afetada.

Para saber mais como o microbioma da nossa boca influência na nossa saúde oral, continue lendo!

Por que o microbioma oral é tão importante para a nossa saúde?

A boca é um dos principais e mais complexos microbiomas do nosso organismo. Isso, porque, nela estão uma grande diversidade microbiota, com mais de 700 espécies de bactérias.

Além disso, a boca é um espaço aberto para contaminação. Sendo assim, quando não há um equilíbrio entre as bactérias ruins e boas todo corpo é afetado, afinal a boca é a porta de entrada do nosso organismo.

No entanto,  quando ela está em seu estado mais natural 98% das bactérias estão nos protegendo contra infecções e inflamações.

Por isso, quando falamos de higiene bucal e hábitos que atrapalham a saúde dos nossos dentes e gengiva, estamos falando de o quanto essas ações ajudam ou atrapalham a equilibrar o microbioma oral.

Bactérias boas e ruins

Quando uma pessoa tem boa saúde bucal quer dizer que as bactérias boas e ruins coexistentem em equilíbrio.

Para se ter uma ideia disso, o lactobacilo (aquele mesmo, o  que crescemos ouvindo falar em propagandas) faz parte do microbioma oral. Ele é muito importante para a digestão de alimentos  e proteção da boca contra patógenos.

Estudos feitos pelo Acta Odontologica Scandinavica, mostram que as pessoas que tomaram pílulas com essa bactéria tiveram uma redução em 85% do sangramento gengival em duas semanas.

Outros estudos apontam também que as pessoas que consomem alimentos com lactobacilos, como iogurtes naturais, tem menos chance de desenvolver problemas bucais.

Já a Streptococcus Mutans e Porphyromonas Gingivalis – outras bactérias existentes na nossa boca -,  quando em grande número, são as causadoras da formação da cárie e alguns tipos de periodontite, respetivamente.

No caso da Streptococcus Mutans, as cáries são formadas porque essa bactéria produz ácidos que afetam o esmalte e a dentina – as duas primeiras camadas do dente – , o que aumenta os riscos de cárie.

Já a Porphyromonas Gingivalis provoca reações inflamatórias na gengiva, causando a periodontite.

A periodontite, por sua vez, engloba doenças inflamatórias que afetam a gengiva, ossos e ligamentos da boca. 

Vale ressaltar que a periodontite atrapalha a nossa qualidade de vida, pois causa dor, dificuldade de mastigação, restrições alimentares, entre outros problemas. 

Em seus estágios mais graves, essa doença faz com que a gengiva deixe de ser uma barreira protetora e abre caminho para que as bactérias da boca passem para a corrente sanguínea.

Isso pode causar sérias infecções por todo o nosso organismo, como no pâncreas e paredes das artérias.

Microbioma intestinal e a saúde bucal

Como já vimos, o microbioma intestinal é importante para a nossa imunidade. Mas você sabia que a saúde bucal influencia diretamente no bom funcionamento desse  microbioma?

Isso acontece, porque, quando a higiene bucal é negligenciada toda a função digestiva fica alterada, uma vez que a digestão começa na boca.

Uma das primeiras coisas que acontece quando temos problemas na mastigação causada pela falta de higiene é a alteração da função digestiva.

Isso, porque, quando deixamos de nos alimentar direito os processos de digestão mecânica e enzimática, além, da microbiota intestinal, são alteradas, causando alergias e intolerâncias alimentares.

Disbiose Intestinal

Outra coisa que acontece quando  deixamos de higienizar adequadamente nossa boca é o surgimento de uma saburra bucal mais espessa, que se apresenta como a coloração amarelada ou esbranquiçada da nossa língua.

A saburra bucal é uma massa composta por células descamadas da boca, bactérias, muco da saliva e restos de comida.

Ela pode alterar as enzimas digestivas, a digestão de nutrientes e, principalmente, causa a Disbiose Intestinal (desequilíbrio da microbiota intestinal)

A disbiose é uma característica das Doenças Inflamatórias Intestinais (como a Colite Ulcerativa e a Doença de Crohn), mas também de distúrbios metabólicos, doenças autoimunes e distúrbios neurológicos. 

Ela pode desencadear condições nas primeiras semanas de vida, como observado na enterocolite, durante a idade adulta, como as Doenças Inflamatórias Intestinais ou em pessoas idosas, como exemplificado pela diarreia associada à Clostridium difficile.

Na maioria dos casos, as mudanças na composição da microbiota intestinal são transitórias, causando sintomas temporários.

No entanto, nos casos em que esse desequilíbrio da microbiota é duradoura ou permanente, o paciente pode desenvolver sintomas crônicos. 

Assim, esse desequilíbrio pode se manifestar como sintomas clínicos temporários ou crônicos, ou ainda, pode ser assintomático, mas causar aumento na vulnerabilidade a várias doenças, incluindo infecções intestinais, bem como doenças metabólicas e neurológicas.

Assim, como as alterações na microbiota podem estar envolvidas em determinadas patologias e influenciar de forma significativa o bem estar do hospedeiro, é aconselhável acompanhar e entender sua composição, buscando indicadores de manutenção da saúde.

Quando esse desequilíbrio acontece apresentamos sinais, como:

  • Deficiência de absorção de vitaminas;
  • Cansaço;
  •   Má digestão;
  • Fermentação excessiva, entre outros.

A Disbiose Intestinal também está ligada à deficiência da vitamina B12, além da síndrome do cólon irritável, artrite reumatoide, câncer de mama e cólon, acne, entre outras doenças. 

O monitoramento do microbioma intestinal pode ser realizado através do sequenciamento de DNA, e informações sobre as bactérias identificadas e sua correlação com as condições clínicas podem fornecer informações valiosas para o profissional da saúde, que poderá ter condutas individualizadas e baseadas em evidências. 

Para manter a saúde bucal em dia, procure um especialista

Com esse conteúdo deu para perceber que os microbiomas bucais e intestinais estão diretamente ligados a saúde da nossa boca. 

Como dito anteriormente, o desequilíbrio deles pode ser causado pela falta de cuidados com a higiene bucal.

Por isso, se faz necessário não só os cuidados que temos em casa, mas também o acompanhamento regular de um profissional.

É ele quem poderá identificar quando algo não está indo bem da nossa boca e indicar os melhores tratamentos e precauções.

Sendo assim, não exite em fazer uso do seu plano odontológico para facilitar as visitas ao dentista, além da realização de exames e procedimentos. 

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *