Aprendendo a identificar o Herpes Bucal

with Nenhum comentário

O Herpes Labial, ou herpes bucal, é uma doença viral bastante contagiosa. Sua principal característica são pequenas bolhas que, quando estouram, formam feridas. Estas bolhas podem se manifestar em qualquer local do corpo, porém são comuns no interior e exterior da boca – principalmente acima dos lábios.

A pessoa, uma vez infectada, sempre terá o vírus “adormecido”. Fatores externos o farão se manifestar novamente, por outro lado há modos de tratar e prevenir. Acompanhe a nossa postagem e descubra como.

A contaminação do Herpes Bucal se dá pelas seguintes formas:

  • Beijar pessoas infectadas – inclusive, o herpes também é conhecido com “doença do
    beijo”;
  • Compartilhar utensílios (tais como: talheres, roupas, toalhas e etc…) com pessoas
    infectadas;
  • Sexo oral sem prevenção.

Os sintomas do herpes surgem cerca de 4 a 6 dias, após o primeiro contato. Entretanto, é importante ressaltar que nem todos os contaminados – após a primeira contaminação – desenvolvem os sintomas.

São eles: pequenas bolhas, geralmente localizadas ao redor dos lábios, nariz ou bochecha. Estas bolhas são acompanhadas de coceira, ardência e formigamento. Em alguns casos, há também febre. Após o estágio inicial, as bolhas estouram e dão lugar a pequenas crostas. A partir daí inicia-se o processo de cicatrização.

O que desencadeia o Herpes Bucal?

É importante estar atento aos fatores que podem desencadear o herpes bucal. Como dissemos, uma vez contraído, não será possível se livrar do vírus e algumas situações contribuem para o reaparecimento da doença. 

Exposição excessiva ao sol e situações de estresse são os campeões em desencadear a doença, entretanto outros fatores também são levados em conta: menstruação, doenças que afetam o sistema imunológico (aids e câncer, por exemplo), alimentos industrializados, dentre outros. Todos estes fatores baixam a imunidade e dão chances ao reaparecimento do Herpes. 

Os sintomas desaparecem entre uma e duas semanas. Uma vez identificado, você sabe como tratar o Herpes Labial? 

Tratando o Herpes Bucal 

Após identificar os sintomas do Herpes é muito importante que você procure um médico. Cada caso é um caso e somente o médico poderá avaliar com segurança, o tipo de tratamento necessário para você. Todavia, decidimos listar alguns dos tratamentos mais utilizados. 

  • Pomadas: as pomadas tratam os sintomas locais e amenizam a dor. Elas são pomadas antivirais e seu uso deve ser tópico. Geralmente, são utilizadas a cada duas horas.
  • Remédios: o medicamento tem ação antiviral e deve ser utilizado antes da manifestação da doença. Somente o médico poderá decidir se deve usar remédio oral e qual deve ser utilizado. Entretanto, muitos profissionais preferem o uso oral ao uso tópico. Em alguns casos, o herpes pode se tornar recorrente e somente o tratamento com medicamento poderá aliviar isto – por isso a necessidade da avaliação profissional.

As cascas que se formam, podem ser tratadas com compressas locais. Tome cuidado ao efetuar o procedimento, é importante que a limpeza seja feita com cuidado para que não haja nenhum machucado e, com isto, haja um retardo no processo de cicatrização. Além de, às vezes, ser bastante doloroso. 

Aminoácido Lisina 

O aminoácido lisina auxilia na prevenção e no tratamento do Herpes Bucal e utilizá-lo é mais simples do que se imagina: basta adotar uma alimentação saudável. Isto acontece porque ele é encontrado nas carnes das aves e peixes. 

Alguns médicos defendem que, a sua suplementação oferece uma dose mais recomendada ao organismo. 

A lisina produz anticorpos que auxiliam no reforço do sistema imunológico, com isso, as lesões ganham uma melhor cicatrização e a prevenção, um reforço. Prevenindo as chances de recorrência caem, e muito. 

Por falar em prevenção, vamos falar dela a seguir? 

Prevenindo o Herpes Bucal 

O Herpes, como sabemos, fica em estado de latência. Isto é, ele pode surgir a qualquer momento, sem limite de recorrência. Além disso, o herpes pode evoluir para situações mais graves, exemplo: 

  • Manifestando-se de forma recorrente. 
  • Mãos contaminadas podem transportar o vírus para os olhos e causar uma infecção, sob risco, inclusive, de cegueira. Isto porque vírus pode lesionar a mucosa ocular.

Contudo, prevenir o Herpes Bucal requer algumas mudanças no estilo de vida. Resolvemos listar algumas medidas: 

  • Higiene: por ser um vírus, o herpes é altamente contagioso, sendo assim é extremamente recomendado que você cuide de seus objetos e evite compartilhá-los. 
  • Beijos: evite dar beijos na época em que a doença estiver ativa, mesmo quando estiver ainda com os sintomas iniciais. 
  • Sol: um dos principais agentes desencadeadores do Herpes Bucal é o sol, tanto que a incidência de casos aumenta no verão. Por isso, é necessário o uso de protetor solar e evitar exposição prolongada. 
  • Alimentação: a alimentação é extremamente importante, em todos os períodos da doença. Alimentos industrializados, ricos em arginina e conservantes, podem causar uma reincidência da doença. Prefira alimentos “in natura” e evite os industrializados na sua dieta – principalmente durante as crises. Uma boa alimentação reforça o seu sistema imunológico e lhe deixa menos suscetível a reincidência. 

Conteúdo produzido por Regina Valadares, redatora da Eyagência. 

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *