6 dicas simples para fazer um planejamento financeiro

with Nenhum comentário

O planejamento financeiro é indispensável para qualquer pessoa, seja ela uma pessoa física ou jurídica. Afinal, todo mundo precisa aprender a lidar com o dinheiro e isso significa evitar as dívidas, saber como investir e conseguir poupar para emergências ou para realizar um sonho.

Quem está pensando em empreender, ou já é um microempreendedor individual, por exemplo, tem que ter atenção redobrada ao planejamento financeiro, pois é ele que ajudará a tirar a ideia do papel e a fazer o negócio prosperar.

Quer aprender a fazer um bom planejamento financeiro? Veja as dicas simples que separamos!

O que é planejamento financeiro e por que ele é importante?

Planejamento financeiro envolve a definição de metas e estratégias para otimizar a sua vida financeira pessoal ou empresarial. Isso significa entender a sua realidade, o quanto ganha e o quanto gasta e definir metas financeiras, como quitar dívidas, pagar as contas em dia, comprar um carro, fazer uma viagem ou comprar a casa própria.

Com um bom planejamento financeiro fica muito mais fácil transformar esses sonhos em realidade, entendendo muito bem o seu perfil de consumidor, o quanto consegue ganhar e poupar, os melhores investimentos para os seus planos, entre outras questões.

Quando aprendemos a lidar melhor com o dinheiro, conseguimos viver com mais tranquilidade, evitando contrair dívidas e empréstimos com juros altos ou virar refém do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial, por exemplo.

Ter um bom planejamento financeiro não significa se sacrificar e deixar de consumir ou de fazer coisas que gosta, apenas aprender a ter equilíbrio, sabendo quando é o melhor momento para investir ou gastar e quando é preciso economizar. E isso vale tanto para a vida pessoal, como para as finanças da empresa, permitindo que seu negócio cresça.

Como fazer um planejamento financeiro?

Já está convencido da importância de planejar a sua vida financeira? Separamos algumas dicas simples para você começar a colocar em prática hoje mesmo.

1- Entenda a sua realidade financeira

Impossível fazer qualquer planejamento se você não tem ideia de como é a sua realidade financeira. Isso significa montar uma planilha com todos os seus ganhos e gastos mensais – o que vale para as contas pessoais e empresariais.

De um lado, coloque tudo o que entra de dinheiro no mês. No caso pessoal: salário, comissão, bonificações e rendas extras (freelas, aluguel de imóveis etc.).

Do outro lado, coloque todas as suas despesas mensais, por exemplo: aluguel, condomínio, energia elétrica, água, internet, telefone, combustível, despesas com a escola das crianças, plano de saúde, supermercado e também os gastos esporádicos (que não acontecem todos os meses).

É muito importante anotar todas as saídas de dinheiro, assim você terá uma ideia real se você está gastando de acordo com o seu salário. Se a parte das despesas for maior que as das receitas, é preciso urgentemente rever seus hábitos, pensando em formas de reduzir os gastos para caber dentro do orçamento.

A partir dessa primeira análise, já será mais fácil entender quais custos têm um impacto maior no seu orçamento e o que precisa ser revisto para melhorar a sua situação financeira.

2- Liste as suas dívidas e priorize os pagamentos

Se você já está no vermelho, o planejamento financeiro lhe ajudará a quitar as dívidas. Para isso, comece listando todas as dívidas em aberto, por exemplo: cartão de crédito, despesas de financiamento ou empréstimos atrasadas, contas em aberto e assim por diante.

Se você não tem como arcar com o pagamento de todas as dívidas, será preciso priorizar algumas. O ideal é focar naquelas que representam serviços essenciais ou que têm juros muito altos.

Por exemplo, atrasar a parcela do financiamento da casa ou o aluguel não é uma boa ideia, pois você poderá perder o imóvel da família ou ficar sem ter onde morar. Então essa é uma dívida primordial, que precisa ser rapidamente negociada. O mesmo vale para serviços básicos como energia elétrica, água etc.

Algumas dívidas precisam ser quitadas mais rapidamente por causa dos juros elevados, como é o caso do cheque especial e do cartão de crédito. Caso contrário, você acabará com uma dívida muito maior e será difícil quitá-la.

Após priorizar as dívidas, saiba o quanto você poderá pagar, analisando o orçamento que você criou no tópico anterior. De posse dessa informação, procure negociar com o credor. Explique a sua atual situação, diga o quanto pode pagar e tente parcelar a dívida, pagando um pouco por mês. Mas cuidado, as parcelas da dívida não podem superar 30% da sua renda, para não comprometer os demais pagamentos, ok?

3- Evite novas dívidas e controle seus gastos

Enquanto paga as dívidas antigas, é importante não fazer novas! Assim, evite pagar somente o mínimo da fatura do cartão de crédito ou do cheque especial e contrair empréstimos sem necessidade.

Além disso, é importante controlar os seus gastos, para que tudo caiba no orçamento doméstico. Pense em quais gastos poderá cortar por um tempo até equilibrar a sua vida financeira.

É possível fazer substituições. Por exemplo, ao invés de sair para jantar fora todo final de semana, fazer isso a cada 15 dias, ou procurar por promoções e locais com valores mais acessíveis. Também é possível substituir serviços mais caros por outros mais baratos, como trocar o plano do celular ou da internet, mudar a operadora, reduzir o número de canais na TV a cabo etc.

Se nada resolver, pode ser necessário pensar em formas de conseguir renda extra, como fazer freelancer fora do horário do expediente, vender alimentos, passear com cães, vender artesanato, dar aulas particulares, entre outros.

4- Defina seus objetivos financeiros

Com a casa em ordem, é hora de começar a planejar o seu futuro. Pense nos sonhos e metas que deseja alcançar, como: comprar uma casa nova, fazer uma viagem internacional, comprar um carro, poupar para a aposentadoria e assim por diante.

Depois de definir seus planos, pense em quanto de dinheiro você precisará e quanto poderá poupar por mês para conseguir chegar lá. É importante também pensar em investimentos que ajudem a atingir essas metas, avaliando a rentabilidade e se o investimento está de acordo com o seu perfil.

O ideal é definir objetivos de curto, médio e longo prazo e fazer projeções de quanto precisará de dinheiro para cada um deles.

5- Tenha uma reserva de emergência

Infelizmente, mesmo com todo planejamento, ninguém está livre de situações emergenciais, que podem colocar a nossa organização financeira em risco.

Por exemplo: problemas de saúde em família, problemas de saúde com os animais de estimação, pane com o carro, reforma em casa etc. Todos esses gastos excepcionais podem nos deixar com dívidas, caso não haja uma reserva de emergência.

Assim, tente economizar um pouco por mês para criar a sua reserva. O ideal é depositar esse dinheiro em um local que você possa retirar quando precisar, sem perder rentabilidade, como em uma conta poupança ou até em um CDB.

Lembre-se que essa reserva é apenas para emergências e quando ela for usada, precisará ser reposta. Não há um limite ideal para ela. Quem é profissional autônomo costuma precisar de uma reserva maior do que um funcionário público, por exemplo, que tem mais estabilidade.

6- Mude a sua atitude em relação ao dinheiro

Se você deseja fazer a sua renda aumentar, é importante mudar a forma como lida com o dinheiro. Isso significa rever seus hábitos de consumo, evitar compras por impulso e planejar seus investimentos, aprendendo mais sobre educação financeira, investimentos e outros temas relacionados.

Gastar menos do que você ganha e saber de todas as suas dívidas são os passos iniciais. Com o tempo será mais fácil pensar antes de comprar, reunir o dinheiro para comprar à vista e aprender a planejar seus investimentos, aumentando a sua renda e lhe trazendo mais segurança e tranquilidade.

Saiba que o primeiro passo você já deu: decidiu começar a aprender e, depois de todas essas dicas, já está apto a realizar seu planejamento financeiro! Gostou deste post? Ajude seus amigos: compartilhe nossas dicas nas suas redes sociais!

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *